Como se pode ver, as reações e interações bioquímicas parecem um pouco complexas, mas o importante são os conceitos, seu mecanismo de ação e aplicabilidade. Estes gráficos são ilustrativos, esquemáticos.

São substâncias de natureza polipeptídica com funções de crescimento, proliferação e sobrevivência celular, utilizando ligações com receptores específicos de grande afinidade na membrana celular.

É considerado um sinalizador entre as células, daí ser responsável pelo fenômeno da “comunicação celular”.

Para uma visão mais ampla, podemos dizer que eles fazem parte dos fatores que promovem o crescimento.

Esclarecendo melhor isso, esses fatores estão assim divididos:

1 – Fatores de crescimento: estimulam o crescimento celular, aumentando sua massa, efetuando a síntese de proteínas e também diferentes macromoléculas, inibindo a sua degradação.

2-  Mitógenos: responsáveis pela estimulação da divisão celular, minimizando os fatores que bloqueiam a escalada do ciclo celular.

3 – Fatores de sobrevivência: evitam a apoptose.

Antes falarmos sobre os tipos de fatores de crescimento e seus mecanismos de ação, vale lembrar um outro conceito:

Citocinas: são polipeptídeos provenientes de uma resposta aos microorganismos ou qualquer tipo de antígeno, mediando e regulando as reações imunes e inflamatórias.

Por serem polipeptídeos, as citocinas são consideradas proteínas que atuam como fatores de crescimento, inibição de crescimento ou de morte celular. Ligam-se a receptores específicos da membrana celular-alvo.

Nesse resumo vamos nos deter sobre os fatores de crescimento, seu mecanismo de ação focados na reestruturação e manutenção da nossa pele. Eles serão incluídos nas formulações dos próximos protocolos.

 

Fator de Crescimento Epidermal – EGF:Ação reepitelizante. Estimula a diferenciação de queratinócitos. Diminui a pigmentação da pele em decorrência de processo inflamatório. Acelera a renovação celular (Turn Over)

 

Fator de Crescimento Fibroblástico básico –bFGF:Excelente sinalizador para fibroblasto na síntese da matriz extracelular, especialmente glicosaminoglicanas. O gráfico abaixo é também ilustrativo.

 

foto31

 

 

Fator de Crescimento Transformador – TGFβ³:Atua em sinergismo com o Fator de Crescimento Fibroblástico Básico estimulando a produção de matriz extracelular. Comunicador para fibroblasto na síntese e maturação do colágeno.

 

Fator de Crescimento Insulínico – IGF:Potente citocina eutrófica. Acelera a remodelação do tecido formando um tecido de granulação saudável. Preventivo de queloides.

 

foto21

Potente citocina eutrófica. Acelera a remodelação do tecido formando um tecido de granulação saudável. Preventivo de queloides.

Associações:

 

Nanofactor C:

Vitamina C estabilizada em nanolipossoma associada ao peptídeo bioidêntico (fração ativa e concentrada do Fator de Crescimento Insulínico). Ação antioxidante simultânea à ação eutrófica e síntese de macromoléculas de sustentação da derme. Ação despigmentante.

IDP-2 Peptídeo:

Fração ativa e concentrada do Fator de crescimento Insulínico (Peptídeo Bioidêntico). Apresenta os efeitos da citocina mãe potencializada. Indicado para o pós-procedimento como laser, peelings médios e profundos. Microagulhamento.

TGP-2 Peptídeo: (Decapeptídeo 34)

Citocina com forte propriedade despigmentante, considerado Despigmentante Bioidêntico, não fotossensibilizante, podendo ser usado em qualquer fototipo de pele.

LIPOXYN – Tripeptídeo 41:

Citocina derivada do Fator de crescimento Transformador. Potente indutor da lipólise, com ação antilipogênica. Utilização no tratamento das lipodistrofias e gordura localizada.

 

Terezinha Maia – Farmacêutica bioquímica: [email protected]