Apenas uma mera semelhança com a aparência das olheiras que perseguem muitas pessoas.

Vamos falar um pouquinho delas?

A queixa de pacientes é comum em consultórios médicos, clínicas de estética, farmácias, centro de vendas de produtos etc.

Lamentável: É um problema indolor, de solução difícil pelo envolvimento de vários fatores:
Flacidez, bolsas de gordura, depósitos de pigmentos (melanina), microcirculação, insônia, reações alérgicas, álcool, fumo, entre outros.

É discriminatória?
Não. Ela aparece independentemente da idade, sexo ou raça.

Tem diferença entre os tipos?

Temos basicamente 3 tipos:

Olheiras Vasculares – envolvem fenômenos fisiológicos relacionados à microcirculação ao redor dos olhos. São mais resistentes, pois esses vasos pequeninos (capilares) se arrebentam e liberam um pigmento vermelho escuro, daí a semelhança com os olhos do panda. O fato de coçar ou esfregar a região dos olhos piora muito o quadro.

Olheiras por Hipergmentação Melânica – acúmulo grande de pigmentação ( manchas castanhas e escuras) por alta atividade daquelas mesmas células que dão pigmentos para a cor da nossa pele (melanócitos/melanina).

Olheiras Mistas – associação dos dois tipos anteriores. Exigem maiores cuidados no tratamento.

Cuidados Pessoais Diários Minimizam os Olhos de Panda:

  • Usar formulações com extratos vegetais como arnica, sambucus nigra, centella asiática, ginkgo biloba  e outros.
  • Evitar coçar a região ao redor dos olhos e colocar compressas de chá de camomila gelado sobre os olhos para acalmar a região.

Tratamentos: Laserterapia, , carboxiterapia, peelings, preenchimentos injetáveis com ácido hialurônico, cirurgia (blefaroplastia) são bem utilizados.

Cosmetologia: Um pouco mais lento, porém menos agressivo com fórmulas cosméticas, utilizando princípios ativos clareadores e hidratantes.

Nesse caso, fórmulas manipuladas são as melhores escolhas e você pode encontra-las no nosso E-book Sobre Olheiras!

Para receber conteúdos novos toda semana direto no seu e-mail cadastre-se em nossa página!